Arquivo

Direito Ambiental para o TRF 2 [Orientação de estudo]


Estratégia Concursos – Rosenval Júnior
28 de fev de 2017 18:32

Olá, alunos!

Passando para informá-los que disponibilizei na área do aluno um PDF com as dicas finais de Direito Ambiental.

É um roteiro com os principais temas que vocês precisam revisar nesta reta final. Além disso, nesse mesmo PDF, eu disponibilizei temas para a redação e propostas de resolução.

Espero que ajude!

Confiram também na área do aluno de Sustentabilidade os 6 simulados (um para cada aula) e o aulão do curso intensivo com PDF.

Confiram abaixo a ordem das aulas:

Sustentabilidade: https://www.estrategiaconcursos.com.br/curso/dir-ambiental-p-trf-2-regiao-analista-jud-area-jud-e-oficial-de-justica-com-videoaulas/

Direito Ambiental: https://www.estrategiaconcursos.com.br/curso/nocoes-de-sustentabilidade-e-acessibilidade-p-trf-2-regiao-todos-os-cargos/?pr=3244

Os 10 temas mais importantes para a revisão são:
1 – Princípios
2 – Bens ambientais e Repartição de Competências
3 – Art. 225, da CF/88 (Do Meio Ambiente)
5 –Objetivos, princípios e Instrumentos da Política Nacional de Meio Ambiente (PNMA).
6 – Licenciamento Ambiental
7 – Grupos e categorias de Unidades de Conservação
8 – Áreas de Preservação Permanente (APPs)
9 – Crimes Ambientais
10 – Responsabilidade Civil Objetiva.

No PDF extra, cada um desses temas está destrinchado. Confiram lá!

Um abraço e bons estudos!!!

Prof. Rosenval

www.instagram.com/profrosenval/

The post Direito Ambiental para o TRF 2 [Orientação de estudo] appeared first on Estratégia Concursos.

Simulado gratuito de Sustentabilidade para Tribunais


Estratégia Concursos – Rosenval Júnior
27 de fev de 2017 15:47

Olá, pessoal!

Segue um simulado final com 30 questões de sustentabilidade!

Correção ao vivo hoje às 21h no instagram @profrosenval.

Após a correção, irei disponibilizar um PDF com todas as questões comentadas.

Link para baixar o PDF: SIMULADO DE SUSTENTABILIDADE

Bom teste!

Prof. Rosenval Jr.

https://www.instagram.com/profrosenval/

The post Simulado gratuito de Sustentabilidade para Tribunais appeared first on Estratégia Concursos.

Dicas Exame CFC – Vídeos disponíveis!


Estratégia Concursos – Gilmar Possati
27 de fev de 2017 19:47

Fala galera! Prof. Possati aqui. Passando rápido para informar que estamos disponibilizando diversas dicas de Contabilidade voltadas especificamente para o Exame de Suficiência em nosso canal do YouTube Contabilizando.

Se você ainda não se inscreveu em nosso canal, se inscreva por meio do link abaixo:

https://www.youtube.com/c/Contabilizando?sub_confirmation=1

Acesse as Dicas Exame CFC já disponíveis em nosso canal por meio dos links abaixo:

Dicas Exame CFC: #01 Estrutura Conceitual

Dicas Exame CFC[/caption]

https://www.youtube.com/watch?v=emlIjwbJc9o

Nessa dica, detalhamos as definições de Ativo, Passivo, PL, Receitas e Despesas presentes na NBC TG 00 – Estrutura Conceitual.

 

Dicas Exame CFC: #02 Estrutura Conceitual


https://www.youtube.com/watch?v=qrHtKn-d_Mw&t=20s

Nessa dica, detalhamos as características qualitativas de melhoria presentes na NBC TG 00 – Estrutura Conceitual.

 

Dicas Exame CFC: #03 Estrutura Conceitual 


https://www.youtube.com/watch?v=pUtbCWWmFKw&t=130s

Nessa dica, detalhamos as características qualitativas fundamentais presentes na NBC TG 00 – Estrutura Conceitual.
 

Dicas Exame CFC: #04 Demonstração dos Fluxos de Caixa 


https://www.youtube.com/watch?v=OgxXMtXvavg

Nessa dica, abordamos a Demonstração dos Fluxos de Caixa (DFC), uma das demonstrações aplicadas ao setor público.

É isso aí, galera! 

Um excelente feriado e bons estudos!

Possati

prof.possati@gmail.com

www.facebook.com.br/profgilmarpossati

The post Dicas Exame CFC – Vídeos disponíveis! appeared first on Estratégia Concursos.

As decepções fazem parte da caminhada! Não desista!


Blog Gran Cursos Online – Equipe Gran Cursos Online
27 de fev de 2017 12:11

As decepções fazem parte da caminhada! Não desista!

"Faliu no comércio aos 31 anos;
Perdeu uma eleição estadual aos 32 anos;
Perdeu a esposa aos 35 anos;
Teve colapso nervoso aos 36 anos;
Perdeu uma eleição para prefeito aos 38 anos;
Perdeu outra eleição estadual aos 46 anos;
Perdeu uma eleição federal aos 48 anos;
Perdeu a eleição para o Senado aos 58 anos;
Aos 60 anos, foi eleito presidente dos EUA.
Esse homem foi Abraham Lincoln, considerado um dos maiores líderes de todos os tempos."

 

 

Jack Ma, hoje com 52 anos, é um dos homens mais ricos do mundo e o mais rico da China. Sua fortuna está avaliada pela Forbes em US$ 20,4 bilhões. No entanto, o caminho para chegar até aí não foi nada fácil. Na verdade, ele teve de lidar com sucessivas frustrações.

Jack levou sete anos para completar o ensino fundamental. Na escola onde estudava, em sua cidade natal, Hangzhou, o ensino médio tinha duração de apenas um ano, metade do recomendado. Diante disso, ele tentou estudar em outras cidades, nas nenhuma aceitou sua matrícula, pelo fato de sua educação já ser bastante falha. Ele também tentou três vezes entrar em uma universidade chinesa. E inscreveu-se em Harvard dez vezes, apenas para ser rejeitado em todas elas. No fim, pensou: "Quem sabe, talvez um dia eu dê aula aí." Ele estava certo: desde que alcançou sucesso com sua plataforma de comércio eletrônico, Ma já deu várias palestras na renomada universidade.

Depois de se formar, o jovem concorreu a mais de trinta vagas de emprego. Não foi aceito em nenhuma delas – nem para trabalhar no KFC, uma rede de fast-food americana que, na ocasião, contratou todos os outros trabalhadores que se candidataram às vagas com Ma. A rejeição nesse período da vida o blindou contra as dificuldades como empreendedor, diz ele, que também sofreu descrédito ao fundar o Alibaba, um dos maiores sites de vendas do mundo, com faturamento estrondoso e crescente.

Mas vamos sair do contexto do empreendedorismo e entrar no mundo dos concursos públicos, para listar alguns exemplos de profissionais e suas histórias de insucessos até, finalmente, a merecida aprovação. Talvez você até já conheça algumas delas. Vejamos.

O nosso professor de Direito Eleitoral e Regimento Interno de tribunais, Weslei Machado, é hoje analista judiciário da área judiciária do TSE. O cargo é dos mais cobiçados por concurseiros de todo o país, e Weslei podia ter se dado por satisfeito ao conquistá-lo, mas ele não parou por aí. Atualmente, também está classificado em terceiro lugar no concurso público para provimento de cargos de promotor de Justiça substituto do Ministério Público do Estado do Amazonas – MPE/AM. Ainda se incluem em sua coleção de aprovações o concurso público do TJDFT/2007 e o do MPU/2007.

São tantas aprovações, que chega a parecer fácil, não é mesmo? Mas não foi. Não para Weslei. Até ser aprovado nesses difíceis certames, ele teve de enfrentar mais de vinte reprovações. E, a cada insucesso que enfrentava ao longo de sua jornada, ele pensava em desistir. Foram tantas horas de estudo, tamanha abdicação da convivência familiar e social e tão alto investimento em taxas de inscrição e livros, tudo sem sucesso, que ele já começava a acreditar que não seria capaz de atingir o objetivo de se tornar servidor público.

Quando deu início à preparação, Weslei já era casado e pai de família. Portanto, para garantir o sustento dos seus, precisava trabalhar durante o dia. Só lhe sobravam as noites para estudar. Além disso, havia um complicador que lhe tirava o sono: a filha estava doente e precisava de remédios caros e de alimentação específica.

Apesar de todas essas – e outras – dificuldades, ele não desistiu. Manteve-se firme em seu projeto. E aqui abro parênteses: creio que, entre outros elementos, a persistência e a dedicação são os mais indispensáveis atributos do concurseiro durante a preparação. O candidato a concurso sempre enfrentará obstáculos, mas não pode ficar paralisado ou simplesmente renunciar ao seu sonho de conquistar uma vaga no serviço público. Em vez disso, precisa adaptar seus métodos para corrigir falhas em sua forma de estudar.

No processo de estudo árduo que o projeto de passar em concurso exige, o esforço e a perseverança ajudam – e muito – a atingir os resultados esperados. No caso de Weslei, ele converteu sua enorme força de vontade em ações práticas. Foi assim que criou um método próprio de preparação. A base da sua técnica era um cronograma de estudos que contemplava as disciplinas recorrentes nos concursos dos quais participava, sobretudo para a carreira dos tribunais. "Identifiquei, em editais anteriores, quais eram as principais disciplinas e as organizei em um cronograma. Cada dia da semana, estudava duas disciplinas, duas horas para cada uma delas", explica.

Seria ótimo se estudar com todo esse afinco já fosse o suficiente para a aprovação, mas sabemos que só o estudo tradicional não basta. Como Weslei logo percebeu, há algo tão importante quanto debruçar-se sobre novos conteúdos, embora esse algo não receba a devida atenção. Estamos nos referindo à revisão das matérias.

O ideal é que, a cada semana, o concurseiro destine um dia para rever os conteúdos estudados até ali. A revisão é sempre cumulativa, e é indispensável que toda a matéria até então estudada seja revista antes do prosseguimento do estudo pelo candidato. Trata-se de um mecanismo de reforço do armazenamento na memória e de organização das informações em nosso cérebro.
Além disso, a experiência de Weslei atesta que, no processo de revisão, é prudente e proveitoso resolver questões de concursos anteriores da carreira escolhida. O concurseiro precisa se familiarizar com a forma de abordagem dos temas e com os principais tópicos cobrados pelos examinadores. Esse conhecimento é capaz de aumentar o rendimento no dia da prova. O candidato não terá surpresas, já que terá conhecido com antecedência o modelo de questões do examinador.

Foi graças a esses pequenos segredos que Weslei conseguiu colecionar todas as suas aprovações e alcançar os resultados dos quais hoje tanto se orgulha.

Outro professor do Gran Cursos Online que tem muito a nos ensinar é o Dr. Aragonê Nunes Fernandes. Hoje juiz do TJDFT, antes de ser aprovado para a magistratura, foi promotor do MPDFT, além de ter passado para defensor público na DPE/RS. Também foi analista do STF, técnico do STJ e agente comercial da CAESB. Assim como Weslei, o Dr. Aragonê também já enfrentou muitas decepções e sofreu inúmeras reprovações, antes de alcançar o cargo com que sonhava.

Quando decidiu estudar para "os concursos grandes" (magistratura, Ministério Público e Defensoria Pública), Fernandes colocou na cabeça que esse seria um projeto de médio ou longo prazo. Além disso, sabia que teria de fazer provas fora de Brasília, pois aqui seria difícil demais passar.

Começou pelo concurso da Defensoria Pública da União. Foi reprovado. Veio depois o de promotor em Sergipe. Nova reprovação. Fez prova para promotor de Rondônia, mesmo sem ter certeza se aceitaria se mudar para lá. Apesar dos menos de 600 candidatos inscritos no certame, o professor acabou reprovado logo na primeira fase!

Somaram-se ao "rol das reprovações", ainda, os concursos de juiz na Paraíba, de promotor em Goiás e de promotor em São Paulo.

"Ah", você poderia concluir, "mas a partir daí nosso personagem finalmente começou a passar e não parou mais." Ou, então, poderia deduzir que o Dr. Aragonê só foi reprovado em concursos grandes… Nada disso! Nosso mestre ainda foi reprovado nos concursos para o cargo de analista de tribunais como TST e STJ e do MPU, para o cargo de técnico judiciário do TJDFT, entre outros.
Em resumo, depois de tantos anos na luta, Fernandes colecionou muito mais reprovações do que sucessos, mas em nenhum momento se arrependeu de ter optado pela carreira pública. Hoje, "pendurou as chuteiras", depois de descobrir algo bem interessante em sua trajetória: todas as reprovações "transitam em julgado" na hora em que se é aprovado em um bom concurso.

Gustavo Scatolino, nosso mestre em Direito Administrativo e hoje procurador da Fazenda Nacional, um dos cargos mais cobiçados da área jurídica, é outro com uma história de muitas decepções até o sucesso final.

O professor reprovou nos seguintes concursos: agente da Polícia Federal/2002, analista do TJDFT/2003, procurador federal, advogado da União, PGFN/2006, técnico e analista do TST/2003, técnico e analista do MPU/2004, Detran/2004, PRF/2003 e delegado do Estado de Goiás/2004.

Foi, contudo, aprovado nos seguintes: técnico do TJDFT/2003, analista judiciário do STJ/2004, procurador do Estado do Espírito Santo/2008 e procurador da Fazenda Nacional/2008. Este, aliás, foi o mesmo concurso em que Gustavo havia sido reprovado em 2006. Note que, em apenas dois anos, ele inverteu sua condição.

Nossa última inspiração é Emerson Douglas. O professor do Gran Cursos Online de Regimento Interno do Senado e Controle Externo do TCU não queria saber de concursos no início de carreira. Ele estava convicto de que seu caminho era a iniciativa privada. Queria construir uma profissão como jornalista. Mas eis que nosso mestre foi convencido a estudar para apenas um concurso específico. O cargo para o qual, na época, decidiu concorrer se tornou o dos seus sonhos: analista da Câmara dos Deputados, área de Comunicação Social.

Emerson estudou por um ano e arrebentou. Ficou em segundo lugar na prova objetiva. Só que ainda haveria a prova prática… Nessa, ele não foi nada bem. Caiu muito e soube que dificilmente seria nomeado. A decepção foi gigante.

Na verdade, ir mal no teste de aptidão física é muito comum; que o digam os candidatos às vagas nas carreiras policiais… O candidato tem um desempenho excepcional na prova objetiva, mas é eliminado no TAF. Vem a fúria, o luto… E o recomeço.

Douglas não desistiu. "Vou estudar para todos os concursos de agora em diante", pensou. Cerca de um ano mais tarde, ele foi aprovado na Polícia Federal (5º lugar, nacional). Não parou mais. Vieram as aprovações para analista do MPU, analista da Abin (6º lugar), consultor da CLDF (1º lugar) e auditor do TCU (1º lugar). Fixou-se no TCU, mas isso não impediu que ele ainda passasse para analista do Senado (cargo que até chegou a assumir) e de novo para outro cargo na Abin (mais um 1º lugar).

O que quero demonstrar com todos esses relatos, amigo leitor, é que, às vezes, uma decepção profunda pode abrir novos e maravilhosos horizontes. As reprovações servem para nos ensinar lições importantes. A nós, cabe extrair esses ensinamentos e assimilá-los, para em seguida corrigir os rumos de nossos planos e continuar na fila até a aprovação – ou, melhor ainda, as aprovações.
Se há uma certeza, é esta: muitos reprovarão, mas você que nos acompanha aqui vai passar – e passar bem. Só não pode desistir. Afinal, quem desiste com facilidade não tem, mesmo, perfil para ser aprovado em concurso público.

Então vamos juntos: você fazendo a sua parte, seguindo as orientações de nossa equipe do Gran Cursos Online, e nós, aqui, pesquisando e descobrindo novas formas e fórmulas de ajudá-lo a ter o governo como patrão.

Gabriel Granjeiro

Confira também: O poder do pensamento positivo nos concursos e na vida!

Mais artigos para ajudar em sua preparação:

O papel da atividade física na preparação para concurso
Quem sonha grande pensa a longo prazo

Sem sacrifício, não há recompensa!

A ansiedade é sua inimiga. Aprenda a driblá-la.
Deseje, mentalize, receba!
Atributos para ser bem-sucedido em provas e concursos
Inteligência emocional e as conquistas na vida e nos concursos

Gabriel Granjeiro


GabrielDiretor-Presidente e Fundador do Gran Cursos Online. Vive e respira concursos há quase 10 anos. Formado em Administração e Marketing pela New York University, Leonardo N. Stern School of Business. Fascinado pelo empreendedorismo e pelo ensino a distância.

 

 


 

The post As decepções fazem parte da caminhada! Não desista! appeared first on Blog Gran Cursos Online.

TRT 24 (MS) – ISOs 27003 e 27004 – Só pra quem está estudando no carnaval!!!


Estratégia Concursos – Fábio Alves
27 de fev de 2017 00:10

Olá pessoal! Para a galera que está se preparando para o concurso do TRT 24 (MS) em pleno carnaval (é assim que se passa), trago um "bizu" das ISO 27003 e 27004!!

A ISO 27003 busca definir um modo suficiente para implementação de um SGSI. Neste sentido, define as seguintes "etapas":

• Obter aprovação da direção (alta administração) para iniciar o projeto de SGSI;
• Definir o escopo, os limites e a política do SGSI;
• Conduzir a análise dos requisitos de segurança da informação;
• Conduzir a análise/avaliação de riscos e planejar o tratamento dos riscos;
• Definir o SGSI.

De acordo com a norma, estas são as 5 fases do planejamento de um projeto de SGSI.

Já a ISO 27004 trata da "Medição" do SGSI!

De acordo com a norma, medição é o processo de obter informação sobre a eficácia de um SGSI e controles usando um método de medição, uma função de medição, um modelo analítico e um critério de decisão!

A norma cita ainda alguns fatores de sucesso de um programa de medição de tal maneira que haja uma melhoria contínua d SGSI:

• Comprometimento da direção apoiado por recursos apropriados;
• Existência de processos e procedimentos do SGSI;
• Um processo repetível capaz de capturar e reportar dados significantes para fornecer tendências relevantes em um determinado período de tempo;
• Medidas quantificáveis baseadas nos objetivos do SGSI;
• Dados facilmente obtidos que podem ser usados para medição;
• Avaliação da eficácia do Programa de Medição de Segurança da Informação e implementação das melhorias identificadas;
• Coleta periódica e consistente, análise, e relato dos dados de medição de uma maneira que seja significativa;
• Uso dos resultados das medições pelas partes interessadas pertinentes para identificar necessidades de melhoria no SGSI implementado, incluindo seu escopo, políticas, objetivos, controles, processos e procedimentos; e
• Aceitação de realimentação pelas partes interessadas, Avaliação da utilidade dos resultados das medições e implementação das melhorias identificadas.

Bom pessoal… é isso! Temos uma aula completa sobre o assunto em nossos cursos! E pra você que hoje passa a folia nos livros, PDFs e vídeo-aulas, saiba que nós sabemos muito bem o que é isso e sabemos também que este é o caminho para a classificação dentro das vagas!

Sigam em frente! Força, foco e fé!

Abços e bons estudos!

Fábio Alves.

The post TRT 24 (MS) – ISOs 27003 e 27004 – Só pra quem está estudando no carnaval!!! appeared first on Estratégia Concursos.

Governo quer impor contribuição sindical a servidores públicos


SERVIDOR PÚBLICO FEDERAL – Siqueira
26 de fev de 2017 18:12


BSPF     -     26/02/2017




O Ministério do Trabalho publicou, na segunda-feira (20), a Instrução Normativa 1/2017 no Diário Oficial da União (DOU), com a qual tenta impor a obrigatoriedade do recolhimento de contribuição sindical dos servidores públicos. A instrução determina que os órgãos e entidades da administração direta, autárquica e fundacional promovam o desconto da "contribuição sindical" (o antigo imposto sindical) de acordo com as regras da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) para os trabalhadores da iniciativa privada.

A contribuição sindical alcança os empregados públicos, regidos pela CLT, e os servidores estatutários, estejam eles vinculados à administração federal, estadual, municipal ou ao Distrito Federal, sendo o desconto realizado no mês de abril de cada ano, correspondendo a um dia de trabalho. Com a Instrução Normativa 1/2017, o governo federal quer que o recolhimento seja realizado da seguinte forma:

a) 60% para o sindicato de base;

b) 15% para a federação;

c) 5% para a confederação correspondente;

d) 10% para a central sindical;

e) 10% para a Conta Especial Emprego e Salário (ou seja, para o Ministério do Trabalho).

Os sindicatos devem especificar a qual central sindical estão filiados. Caso não haja confederação, os 10% serão destinados à federação. Em caso de falta de recolhimento por parte do sindicato, da federação ou da central sindical, os valores são repassados automaticamente ao Ministério do Trabalho. Caso os sindicatos resolvam devolver a contribuição sindical imposta aos integrantes da sua base, esta devolução alcançará apenas o percentual que pertence a este sindicato, ou seja, 60% do desconto realizado.

ANDES-SN é contra recolhimento de contribuição sindical obrigatória

Por princípio, o ANDES-SN é contrário à contribuição sindical. A avaliação do Sindicato Nacional é que o tripé formado por contribuição, investidura e unicidade é prejudicial à luta dos trabalhadores e favorece a formação de burocracias sindicais. Desde 1998 o ANDES-SN publica aviso no DOU instruindo às instituições de ensino superior do país a não efetuarem desconto do imposto sindical obrigatório.

O Sindicato Nacional abriu mão deste imposto herdado na legislação brasileira de um dos períodos de maior tutela do Estado sobre as organizações sindicais, e, por decisão política da sua base, vive exclusivamente da contribuição mensal deliberada pela base da categoria em assembleias gerais e congressos.  Tal compromisso é disposição estatutária do ANDES-SN.

Durante o 36º Congresso do Sindicato Nacional, realizado no mês de janeiro em Cuiabá (MT), o ANDES-SN, foi realizada a devolução do valor da contribuição sindical que foi recolhido, à revelia do sindicato, dos professores da Universidade do Estado do Mato Grosso (Unemat).

Projeto do Senado quer sustar Instrução Normativa

O senador Sérgio Petecão (PSD-AC) apresentou, na quarta (22), o Projeto de Decreto Legislativo do Senado (PDS) 30/17, que "susta a Instrução Normativa nº 1 do Ministério do Trabalho, que dispõe sobre a cobrança da contribuição sindical dos servidores e empregados públicos". O mesmo senador já havia apresentado o Projeto de Lei do Senado (PLS) 385/16, que tramita na Comissão de Assuntos Sociais (CAS), e prevê que a contribuição sindical somente deve ser cobrada dos servidores que voluntariamente se filiarem aos respectivos sindicatos.

Confira aqui a nota do Coletivo Nacional De Advogados De Servidores Públicos sobre a Instrução Normativa 1/2017

Fonte: ANDES-SN


Prova da Semana – Comentário da prova do TRT-11 – 2017 – Analista Judiciário – BD


Estratégia Concursos – Thiago Rodrigues Cavalcanti
26 de fev de 2017 20:39

aprovado no concurso

Apresentamos abaixo as questões da prova do TRT-11 devidamente comentadas para o cargo de analista judiciário de TI.

  1. Ano: 2017 Banca: FCC Órgão: TRT-11 Cargo: Analista Judiciário de TI – Q. 42

Uma tabela chamada funcionario contém os registros abaixo.

idFuncionario         nomeFuncionario   salario         idDepartamento

1                           João                      5000            4

2                           Pedro                    2000            4

3                           Maria                     8000            4

4                           Jonathan               3000            4

5                           Marta                    12000          1

6                           André                    1000            1

7                           Mario                    4000            1

8                           Rubens                  2300            2

9                           Renata                  900              2

Foi digitado um comando PL/SQL para exibir os números de departamentos e os salários daqueles departamentos com salário máximo maior do que 3000. Os dados exibidos foram:

idDepartamento     MAX(salario)

1                 12000

4                 8000

O comando digitado foi:

(A) SELECT idDepartamento, MAX(salario) FROM funcionario HAVING MAX(salario)>3000;

(B) SELECT idDepartamento, MAX(salario) FROM funcionario GROUP BY MAX(salario)>3000;

(C) SELECT idDepartamento, MAX(salario) FROM funcionario WHERE MAX(salario)>3000 GROUP BY idDepartamento;

(D) SELECT idDepartamento, MAX(salario) FROM funcionario GROUP BY idDepartamento HAVING MAX(salario)>3000;

(E) SELECT idDepartamento, MAX(salario) FROM funcionario WHERE MAX(salario)>3000;

Comentário: Ok! A construção do comando acima deve considerar primeiramente as duas colunas que serão exibidas no resultado. A primeira coluna idDepartamento e a segunda MAX(salario). Vejam que o programador optou por não usar alias para renomear o atributo MAX. O segundo ponto que devemos observar no contexto da consulta é a tabela da qual vamos extrair os nossos dados, neste caso a relação funcionário. Até esse ponto todas as alternativas estão iguais.

Para escolhermos a resposta correta vamos primeiro agrupar usando o comando GROUP BY pelo idDepartamento. A partir deste momento teríamos um resultado intermediário que já exibiria o salário máximo por departamento. Contudo, existe uma restrição a ser feita sobre o agregado e para tal usamos a cláusula HAVING. Neste caso precisamos fazer a seguinte restrição MAX(salario) > 3000.

Ao concatenarmos todas as informações descritas acima, podemos encontrar nossa resposta na alternativa D.

Gabarito: D.

  1. Ano: 2017 Banca: FCC Órgão: TRT-11 Cargo: Analista Judiciário de TI – Q. 44

Considere o modelo de dados abaixo.

 

Na relação entre as entidades Advogado e Processo um advogado poderá atuar em diversos processos, tanto como advogado de defesa como de acusação. Assim, cada processo terá, pelo menos, dois advogados. Com base nesse modelo, na implementação das tabelas do banco de dados em um Sistema de Gerenciamento de Banco de Dados relacional,

(A) será necessária a criação de uma tabela entre Advogado e Processo e o relacionamento N:N dará lugar a dois relacionamentos 1:N.

(B) a chave primária da tabela Processo deverá ser chave estrangeira na tabela Advogado.

(C) a chave primária da tabela Advogado deverá ser chave estrangeira na tabela Processo.

(D) ambas as tabelas (Processo e Advogado) deverão ter chave primária composta.

(E) a tabela Advogado deverá ter um campo para especificar o tipo de atuação do advogado em cada processo (defesa ou acusação).

Comentário: Já falamos algumas vezes sobre esse tipo de questão. Ela pergunta como vamos fazer a passagem do modelo entidade-relacionamento para o modelo relacional. Quais relações precisam ser criadas. Dado a existência de um relacionamento N:M, precisamos criar uma tabela auxiliar para representar os relacionamentos entre as entidades advogado e processo. Essa relação terá como chave primária os atributos chave das duas entidades. Ela poderá ainda ter outros atributos que fazem sentido apenas para o relacionamento.

Veja, portanto, que será necessária a criação de uma tabela entre Advogado e Processo e o relacionamento N:N dará lugar a dois relacionamentos 1:N. Tal texto está presente na alternativa A, que é a resposta da nossa questão.

Gabarito: A.

  1. Ano: 2017 Banca: FCC Órgão: TRT-11 Cargo: Analista Judiciário de TI – Q. 41

41. RAID é uma técnica na qual múltiplos drives de disco são combinados em uma unidade lógica. Há dois métodos de implementação de RAID: por hardware e por software. RAID por software

(A) não é compatível com todos os níveis de RAID.

(B) torna flexível o ambiente de processamento de dados, pois atualizações de RAID ou do sistema operacional não precisam ser validadas.

(C) não afeta o desempenho global do sistema, pois não requer ciclos adicionais da CPU para executar cálculos RAID.

(D) não é implementado em nível de sistema operacional, mas apenas por software específico.

(E) tem como desvantagens alto custo e dificuldade para ser implementado.

Comentário: No RAID via software todas as funções são executadas diretamente pelo sistema operacional e os HDs são ligados diretamente às interfaces da placa mãe. Neste caso, temos um trabalho adicional de configuração, mas em compensação não é preciso gastar com uma controladora dedicada. É possível criar arrays RAID via software tanto no Linux, quanto no Windows 2000, XP, 2003 Server e Vista.

As versões Home e Professional oferecem apenas as opções de criar arrays RAID 0 (distribuído) ou JBOD (estendido), já no 2000 ou 2003 Server é possível criar também arrays RAID 1 (Espelhado) e RAID 5, neste caso utilizando a partir de 3 HDs. Vejam que nem todos os níveis de RAID são compatíveis neste caso. Assim temos nossa resposta na alternativa A.

Gabarito: A.

Essas foram as questões da prova de analista judiciário de TI do TRT-11. Voltaremos amanhã com a prova de técnico.

Forte abraço,

Thiago Cavalcanti

 

The post Prova da Semana – Comentário da prova do TRT-11 – 2017 – Analista Judiciário – BD appeared first on Estratégia Concursos.

Concurso MP RN: Baixe o edital verticalizado e otimize sua preparação!


Blog Gran Cursos Online – Equipe Gran Cursos Online
23 de fev de 2017 19:15

Ministério Público do Rio Grande do Norte publicou o edital de seu novo concurso público que oferta vagas para as carreiras de técnico da área Administrativa (nível médio) e analista das áreas de Contabilidade e Engenharia Civil (ambos exigindo formação superior na área).

É uma excelente oportunidade para quem deseja ingressar no serviço público. Além da estabilidade, assegurada pela contratação via regime estatutário, os contratados farão jus a remuneração inicial que varia de R$ 3.072,71  a R$ 4.209,19.

O concurso do MP RN , via de regra, convoca muitos aprovados, até mesmo além do quantitativo de vagas oferecidas inicialmente. Em 2010, o órgão realizou o último concurso para técnico, que visava ao preenchimento de 14 oportunidades. Entretanto, houve 200 convocações durante a validade, já encerrada.

As provas serão aplicadas no dia 7 de maio nas cidades de Natal e Mossoró. Além da prova objetiva, os candidatos aos cargos de analista também serão avaliados por meio de duas questões discursivas.

Como forma de auxiliar os alunos que almejam conquistar uma vaga neste certame, elaboramos e disponibilizamos gratuitamente o "Edital Verticalizado" para 2 cargos desse concurso! Com eles, você vai poder maximizar seus estudos, pondo fim à falta de organização, e ganhando orientação do que estudar dia a dia. Há, ainda, no material disponível abaixo, um segundo quadro dentro das planilhas para que você possa controlar os seus horários de estudos. Para ter acesso, basta clicar nos links abaixo.

Clique AQUI e baixe gratuitamente o edital verticalizado para Técnico do Ministério Público Estadual – Área Administrativa

Clique AQUI e baixe gratuitamente o edital verticalizado para Analista do Ministério Público Estadual – Área Contabilidade 

 

 

Confira abaixo o Edital detalhado e dicas de como passar no concurso MP RN

Veja abaixo a aula do professor Weslei Machado, que aborda o edital detalhadamente e fornece dicas valiosas de estudo para o concurso MP RN.

 

Detalhes concurso MP RN:

  • Concurso: Ministério Público do Rio Grande do Norte (Concurso MP RN)
  • Banca organizadora: Comperve (UFRN)
  • Cargos: Analista; Técnico
  • Escolaridade: Nível médio e superior
  • Número de vagas: 32 + CR
  • Remuneração: Inicial de até R$ 5 mil
  • Inscrições: Entre 13 de março e 11 de abril de 2017
  • Taxa de inscrição: R$ 110 ou R$ 180
  • Data da prova: 07 de maio de 2017

edital

Gostou dessa oportunidade? Prepare-se com quem tem tradição de aprovação e 27 anos de experiência em concursos públicos. Cursos online com início imediato, visualizações ilimitadas e parcelamento em até 12x sem juros

matricule-se 3

assinatura-222-1

garantia-de-satisfacao-30

Depoimentos de alunos aprovados AQUI. Casos de sucesso:

CHEGUEI-LÁ2 CHEGUEI-LÁ CHEGUEI-LÁ2 CHEGUEI-LÁ-Natálial CHEGUEI-LÁ (7)

The post Concurso MP RN: Baixe o edital verticalizado e otimize sua preparação! appeared first on Blog Gran Cursos Online.

Edital TJ AL. Saiba tudo do último concurso. Agora!


Estratégia Concursos – Ricardo Vale
24 de fev de 2017 13:54

O edital TJ AL está próximo. Conheça os detalhes do último edital e também a remuneração atual de alguns cargos, neste artigo.

edital tj al

O presidente do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ AL), desembargador Otávio Leão Praxedes, autorizou a formação da comissão que organizará o concurso TJ AL. Essa autorização está na Portaria do TJ AL número 181, de 16 de fevereiro de 2017.

 

Último edital TJ AL

O último concurso TJ AL foi realizado em 2012 para o provimento de 172 vagas de Auxiliar, Técnico e Analista Judiciário, com salários iniciais de R$ 1.084,67 a R$ 5.789,13. O certame foi organizado pelo Cespe/Unb. O prazo de validade do concurso já está esgotado e todos os aprovados foram nomeados. 

 

Remuneração Atual

O vencimento básico do TJ AL está nos seguintes patamares, atualmente:

⇒ Nível Superior – Analista Judiciário Especializado: inicial R$ 9.173,77 – final R$ 17.769,21;

⇒ Nível Médio – Técnico Judiciário: inicial R$ 3.953,13 – final R$ 7.662,82;

⇒ Nível Médio – Auxiliar Judiciário: inicial R$ 1.787,57 – final R$ 3.872,85.

 

Cronologia do último edital TJ AL

O último concurso TJ AL foi organizado pela banca CESPE. O edital é datado de 28/05/2012. A prova foi realizada dia 02/09/2012. Portanto, entre a data do edital e a data da prova foram 97 dias.

 

Vagas

O último edital TJ AL ofereceu vagas para nível superior e vagas para nível médio. As vagas oferecidas foram essas:

Nível Superior (Analista Judiciário Especializado – AJE)

⇒ AJE – Administração: 4 vagas concorrência geral, 1 vaga candidato com deficiência;

⇒ AJE – Análise de Sistemas: 4 vagas concorrência geral, 1 vaga candidato com deficiência;

⇒ AJE – Arquitetura: 2 vagas concorrência geral;

⇒ AJE – Arquivologia: 1 vaga concorrência geral;

⇒ AJE – Biblioteconomia: 1 vaga concorrência geral;

⇒ AJE – Comunicação Social: 2 vagas concorrência geral;

⇒ AJE – Contabilidade: 3 vagas concorrência geral;

⇒ AJE – Economia: 2 vagas concorrência geral;

⇒ AJE – Enfermagem: 2 vagas concorrência geral;

⇒ AJE – Engenharia: 2 vagas concorrência geral;

⇒ AJE – Judiciária: 19 vagas concorrência geral, 1 vaga candidato com deficiência;

⇒ AJE – Clínica Médica: 2 vagas concorrência geral;

⇒ AJE – Medicina do Trabalho: 2 vagas concorrência geral;

⇒ AJE – Psiquiatria: 2 vagas concorrência geral;

⇒ AJE – Odontologia: 1 vaga concorrência geral;

⇒ AJE – Psicologia: 4 vagas concorrência geral, 1 vaga candidato com deficiência;

⇒ AJE – Serviço Social: 4 vagas concorrência geral, 1 vaga candidato com deficiência.

 

Nível Médio

⇒ Técnico Judiciário: 19 vagas concorrência geral, 1 vaga candidato com deficiência;

⇒ Auxíliar Judiciário: 89 vagas concorrência geral várias cidades, mais cadastro de reserva. 

 

Requisitos Básicos

Segundo o edital TJ AL 2012, o candidato aprovado no concurso deveria possuir os seguintes requisitos básicos para tomar posse no cargo:

⇒ ter nacionalidade brasileira ou portuguesa;

⇒ estar em dia com as obrigações eleitorais e, em caso de candidato do sexo masculino, também com as militares.

⇒ ter idade mínima de dezoito anos completos na data da posse.

⇒ ter aptidão física e mental para o exercício das atribuições do cargo/área.

⇒ não ter cumprido sanções por inidoneidade ou qualquer tipo de penalidade grave no exercício da função pública, aplicada por qualquer órgão público e/ou entidade da esfera federal, estadual e/ou municipal, nos últimos cinco anos.

⇒ comprovar conduta ilibada e bons antecedentes.

 

Escolaridade

Os candidatos deveriam comprovar a escolaridade, conforme o cargo que concorriam, a saber:

⇒ diploma de nível superior na respectiva área das vagas que optar concorrer para os candidatos aos cargos de Analista Judiciário Especializado;

⇒ diploma de nível médio para os cargos de Técnico Judiciário e Auxiliar Judiciário.

 

Etapas do concurso

O edital TJ AL 2012 previu o concurso em duas etapas.

A primeira etapa foi constituída dessas fases:

provas objetivas, para todos os cargos, de caráter eliminatório e classificatório;

prova discursiva, para o cargo de nível superior, de caráter eliminatório e classificatório;

avaliação psicológica, para o cargo de nível superior, de caráter eliminatório;

investigação social, para todos os cargos, de caráter eliminatório;

avaliação de títulos, para o cargo de nível superior, de caráter classificatório;

comprovação de sanidade física e mental, para todos os cargos, de caráter eliminatório.

A segunda etapa foi constituída dessa forma:

Curso de Formação Inicial para todos os cargos, de caráter eliminatório.

Mais detalhes sobre as fases e as etapas do concurso estão logo abaixo.

 

Local de realização do concurso

Todas as etapas foram previstas para acontecerem na cidade de Maceió-AL.

 

Provas Objetivas

As provas objetivas (tanto para nível superior, como para nível médio) foram constituídas de 60 questões. Foram 30 questões a respeito de Conhecimentos Básicos e 30 questões a respeito de Conhecimento Específicos.

Na prova de Conhecimentos Básicos foram cobradas as seguintes disciplinas, conforme a área do concurso:

⇒ Língua Portuguesa (comum a todos os cargos);

⇒ Noções de Informática (comum a todos os cargos);

⇒ Atualidades (comum a todos os cargos);

⇒ Noções de Direito Constitucional (a banca cobrou conteúdo de acordo com o cargo);

⇒ Noções de Direito Administrativo (a banca cobrou conteúdo de acordo com o cargo);

⇒ Legislação Específica do Estado de Alagoas (comum a todos os cargos).

Na prova de Conhecimentos Específicos foram cobradas disciplinas de acordo com área de atuação do cargo.

Mais detalhes sobre as disciplinas cobradas no concurso TJ AL 2012 podem ser obtidas no edital.

Clique aqui para acessar o edital TJ AL 2012

 

Como dito acima, foram 30 questões de conhecimentos básicos e 30 questões de conhecimentos específicos. A nota em cada questão das provas objetivas foi igual a:

1,00 ponto positivo, caso a resposta do candidato esteja em concordância com o gabarito oficial definitivo das provas;

0,25 ponto negativo, caso a resposta do candidato esteja em discordância com o gabarito oficial definitivo das provas;

0,00 ponto, caso não haja marcação ou haja mais de uma marcação.

Foi reprovado o candidato que se enquadrou em pelo menos um dos itens a seguir:

⇒ obteve nota inferior a 6,00 pontos na prova objetiva de Conhecimentos Básicos;

⇒ obteve nota inferior a 7,50 pontos na prova objetiva de Conhecimentos Específicos;

⇒ obteve nota inferior a 15,00 pontos no conjunto das provas objetivas.

 

Prova Discursiva

A prova discursiva, somente para o cargo de nível superior, de caráter eliminatório e classificatório, valeu 10,00 pontos. Ela consistiu de redação de texto dissertativo, com até 30 linhas, a partir de um tema proposto pela banca examinadora, acerca dos objetos de avaliação de Conhecimentos Específicos.

Nem todas as redações foram corrigidas pela banca. Havia um limite. Para ter sua redação corrigida, observada a reserva de vagas para os candidatos com deficiência e respeitados os empates na última colocação, foram corrigidas as provas discursivas dos candidatos aprovados nas provas objetivas e classificados conforme abaixo.

⇒ AJE – Administração: 23 redações concorrência geral, 2 redações candidato com deficiência;

⇒ AJE – Análise de Sistemas: 23 redações concorrência geral, 2 redações candidato com deficiência;

⇒ AJE – Arquitetura: 18 redações concorrência geral, 1 redação candidato com deficiência;

⇒ AJE – Arquivologia: 12 redações concorrência geral, 1 redação candidato com deficiência; 

⇒ AJE – Biblioteconomia: 12 redações concorrência geral, 1 redação candidato com deficiência;

⇒ AJE – Comunicação Social: 18 redações concorrência geral, 1 redação candidato com deficiência;

⇒ AJE – Contabilidade: 18 redações concorrência geral, 1 redação candidato com deficiência;

⇒ AJE – Economia: 18 redações concorrência geral, 1 redação candidato com deficiência;

⇒ AJE – Enfermagem: 18 redações concorrência geral, 1 redação candidato com deficiência;

⇒ AJE – Engenharia: 18 redações concorrência geral, 1 redação candidato com deficiência;

⇒ AJE – Judiciária: 330 redações concorrência geral, 18 redações candidato com deficiência;

⇒ AJE – Clínica Médica: 18 redações concorrência geral, 1 redação candidato com deficiência;

⇒ AJE – Medicina do Trabalho: 18 redações concorrência geral, 1 redação candidato com deficiência;

⇒ AJE – Psiquiatria: 18 redações concorrência geral, 1 redação candidato com deficiência;

⇒ AJE – Odontologia: 12 redações concorrência geral, 1 redação candidato com deficiência;

⇒ AJE – Psicologia: 23 redações concorrência geral, 2 redações candidato com deficiência;

⇒ AJE – Serviço Social: 23 redações concorrência geral, 2 redações candidato com deficiência.

Foi eliminado do concurso que obteve nota da prova discursiva inferior a 5 pontos.

 

Avaliação Psicológica

Conforme o edital TJ AL 2012, foram convocados para a avaliação psicológica e para a entrega dos documentos referentes à avaliação de títulos e à investigação social os candidatos aos cargos de nível superior aprovados na prova discursiva, respeitados os empates na última posição.

O candidato que não apresentou os requisitos psicológicos necessários ao exercício do cargo foi eliminado do concurso.

 

Investigação Social

Conforme o edital TJ AL 2012, foram analisados os documentos referentes à investigação social dos candidatos ao cargo de nível superior recomendados na avaliação psicológica e dos candidatos aos cargos de nível médio.

Foi eliminado e não teve classificação alguma no concurso o candidato considerado contraindicado na investigação social.

 

Comprovação de Sanidade Física e Mental

Conforme o edital TJ AL 2012, foram convocados para a comprovação de sanidade física e mental os candidatos indicados na investigação social.

Nessa etapa o candidato teve que apresentar vários exames de saúde. Esses exames destinaram-se a apurar as condições de higidez física e mental do candidato. A seguir lista dos exames solicitados na época:

⇒ exame de sangue;

⇒ VDRL e hemograma;

⇒ radiografia de tórax com laudo;

⇒ exames de urina e fezes;

⇒ laudo de otorrinolaringologista;

⇒ laudo de dermatologista;

⇒ laudo de oftalmologista;

⇒ laudo de ortopedista, constando especificamente a não ocorrência de lesão de esforço repetitivo ou outra doença ocupacional;

⇒ laudo de psiquiatra;

⇒ laudo odontológico; e

⇒ para os candidatos acima de 35 (trinta e cinco) anos, eletrocardiograma com laudo.

 

Avaliação de Títulos

Foram analisados os títulos dos candidatos ao cargo de nível superior não eliminado na prova discursiva, conforme o edital TJ AL 2012. Essa prova teve caráter classificatório e uma pontuação máxima de 5 pontos. Ela seguiu os seguintes critérios:

edital TJ AL

 

edital TJ AL

Curso p/ Concursos

O Estratégia Concursos já lançou cursos focados no edital TJ AL. Nossos cursos contêm o conteúdo completo que será cobrado na sua prova. São PDF´s e videoaulas, além de um fórum de dúvidas exclusivo na área do aluno para você esclarecer pontos com seus professores. Confiamos tanto na qualidade da nossa equipe e dos nossos materiais que nós temos uma política de satisfação garantida ou seu dinheiro de volta, em até 30 dias e sem burocracia. Você não tem nada a perder. Conheça nossos cursos!

 

edital TJ AL

Informações do Concurso Anterior

••• Ano: 2012

••• Edital: Edital TJ AL 2012

••• Banca:  CESPE (www.cespe.unb.br/cebraspe)

Informações do Próximo Concurso

••• Data prevista: 2017 edital/ 2017 provas

••• Vagas: a definir 

••• Lotações: Estado de Alagoas

••• Remuneração – Nível Superior – Analista Judiciário Especializado: inicial R$ 9.173,77 – final R$ 17.769,21;

••• Remuneração – Nível Médio – Técnico Judiciário: inicial R$ 3.953,13 – final R$ 7.662,82;

••• Remuneração – Nível Médio – Auxiliar Judiciário: inicial R$ 1.787,57 – final R$ 3.872,85.

••• Banca: a definir

••• Edital: autorizado 

••• Escolaridade: nível para Analista Judiciário, nível médio para Auxiliar Judiciário e Técnico Judiciário

••• Cursos Estratégia Concursos: CURSOS  PARA TJ AL

 

 

 

 

The post Edital TJ AL. Saiba tudo do último concurso. Agora! appeared first on Estratégia Concursos.

Edital de concurso da CPTM será divulgado em breve


Blog Aprova Concursos – Blog Aprova Concursos
24 de fev de 2017 14:22

cptmAguardado desde dezembro do ano passado, o edital do concurso público da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos – CPTM está quase finalizado. De acordo com informações da Folha Dirigida a abertura do concurso depende apenas da aprovação do Conselho de Defesa dos Capitais do Estado (Codec), órgão vinculado à Secretaria da Fazenda.  A expectativa é de que as inscrições sejam realizadas ainda no primeiro semestre.

A RBO Concursos será a responsável pela organização do certame, que deverá ofertar oportunidades para todos os níveis de escolaridade, com destaque para os cargos de nível fundamental de Agente de Manutenção Metalúrgico, Oficial de Manutenção Mecânica e Oficial de Manutenção Elétrica.

Também haverá vagas nos cargos de Agente de Segurança, Agente de Serviços de Operação, Agente de Relacionamento, Maquinista, Técnico de Transportes e Técnico de Manutenção, de níveis médio e médio/técnico. E no nível superior, os cargos são de Secretária Executiva, Engenheiro e Analista em diversas áreas.

Os vencimentos variam de R$ 2.180,97 a R$ 6.661,71, em jornadas de 40 horas semanais. Alguns cargos poderão exigir requisitos como idade mínima, carteira de habilitação e conhecimentos em informática. Os candidatos serão avaliados por meio de prova objetiva e avaliação psicológica, além de teste de aptidão física para cargos específicos.

Último concurso
O último concurso da instituição ofereceu 15 vagas imediatas, mais formação de cadastro de reserva em diversos cargos distribuídos para todos os níveis de escolaridade. Os salários variavam entre R$ 1.598,67 e R$ 5.331,20, e a banca organizadora foi a Caipimes.

O post Edital de concurso da CPTM será divulgado em breve apareceu primeiro em Blog Aprova Concursos.

Consultor legislativo CLDF fala sobre carreira


Estratégia Concursos – Coordenação
25 de fev de 2017 11:30

Consultor legislativo CLDF fala sobre carreira, atribuições dos cargos para provimento efetivo, peculiaridades da Casa e vantagens de se trabalhar em um dos órgãos públicos mais visados pelos concurseiros

Consultor legislativo CLDFO Estratégia Concursos recebeu Josué Lima, que é consultor legislativo da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), nesta última quarta-feira (23) para trazer a visão dele enquanto servidor público na Casa que promoverá um dos certames mais aguardados e concorridos na região em 2017. Formado em Direito Urbano, ele atua na área de desenvolvimento urbano, participando de comissões permanentes e temporárias, gabinetes parlamentares, mesa diretora, lideranças, etc. 

Josué foi aprovado no último processo seletivo da CLDF, que ocorreu em 2005. "Já vinha há 10 anos trabalhando no Governo do Distrito Federal em um cargo de provimento efetivo. Quem estuda para concurso sabe que as carreiras para o legislativo são as mais visadas não só pelo salário, mas pelas condições de trabalho. Como já atuava indiretamente na área de planejamento urbano, optei por fazer esse concurso", lembra.

O brasiliense explica que um consultor legislativo tem como função apoiar diretamente as atividades do parlamentar. "Os deputados são relatores de projetos nas comissões e eles costumam demandar à consultoria trabalhos como a elaboração da minuta que será apresentada em alguma comissão". Para ele, é uma motivação a mais saber que o trabalho desenvolvido junto ao poder legislativo pode influenciar positivamente no aperfeiçoamento de uma norma ou na avaliação de uma política, por exemplo.

 

Recomendações

 

"Uma característica comum a todos os postulantes aos cargos é entrar com o espírito de colaboração e dedicação para auxiliar na transformação da imagem do poder legislativo a fim de recuperar a importância dele na sociedade, uma vez que é o poder mais representativo — porque temos 24 deputados distritais que foram eleitos de forma direta pela população — e também o mais questionado", complementa Josué.

O servidor público recomenda que as pessoas considerem aspectos além da remuneração, como o ambiente de trabalho e as oportunidades de crescimento. Ademais, as pessoas devem avaliar a lotação que será em Brasília, analisando bem se terá condições para morar na capital. "No último concurso, edital de 2005, vários estudantes de outras cidades conseguiram aprovação. É importante que saibam que vão trabalhar em aqui mesmo. A cidade é incrível, quem vir acho que não sai mais", diz.

Outro ponto ressaltado por ele é a importância do discernimento no exercício da profissão, sem misturar crenças pessoais com o trabalho a ser desenvolvido. Todos têm o direito de ter própria ideologia política, mas os funcionários podem trabalhar com um parlamentar adepto de uma linha de pensamento, e, em outro momento, com outro que defende concepções opostas. "Não pode deixar essas ideologias políticas contaminarem um trabalho que é técnico. Ou seja, o consultor legislativo vai preparar um trabalho com esmero e dedicação independente de quem seja o parlamentar, de que partido integre, etc", orienta.

 

Características  da Casa

 

Josué ressalta que uma das peculiaridades da CLDF é  o trabalho que ora assemelha-se às atividades de vereadores, ora trata de atribuições inerentes aos deputados estaduais. "O nome Câmara Legislativa é uma mistura de câmara de vereadores com assembléia legislativa. Lida com matérias, por exemplo, de ordenamento territorial, planos diretores, ocupação do solo — que é de competência municipal —, e discute-se legislação do Imposto Sobre Circulação De Mercadorias e Serviços (ICMS) — que é uma matéria própria de assembléias estaduais", observa.  Por outro lado, ela não legisla pautas que afetam o Ministério Público, e assuntos que são próprios da União, como ao que se refere às forças policiais, porque são custeadas com recursos da União.

Em resumo, a CLDF atua em três áreas: legislação de matérias de interesse do DF;  fiscalização do poder executivo; e representação da população do DF.

 

Quais são os cargos que podem ser ofertados no concurso público?

 

1-Técnico legislativo, que exige ensino médio completo.

2-Consultor técnico legislativo, que cobra formação superior específica em cursos como Jornalismo, Medicina, Biblioteconomia e Tecnologia da Informação (o posto de Policial Legislativo também é enquadrado nesta categoria). Esses cargos se assemelham muito ao trabalho do analista legislativo em comparação com o Congresso Nacional. Os candidatos aprovados serão direcionados para serviços administrativos da casa, seja no setor de  comunicação, na biblioteca, no  consultório, dentre outros possíveis departamentos. Há casos em que esses profissionais podem estar a frente de comissões e até ser lotados provisoriamente na mesa diretora. 

3-Para concorrer à carreira de Procurador legislativo, pede-se formação em Direito e registro na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

4- O cargo de Consultor legislativo exige formação em curso superior em qualquer vertente, visto que procura-se profissionais para atuar em áreas de especialização. Há cinco unidades temáticas, em que cada uma delas pode ter mais de uma especialidade: unidade de redação parlamentar; unidade de educação; unidade de saúde; desenvolvimento urbano e meio ambiente (apesar de ser da mesma unidade, devem abrir vagas diferentes); economia e finanças; e constituição e justiça. 

 

Remuneração e benefícios

 

O cargo de Técnico legislativo terá vencimento inicial de R$ 10.650,18 a partir de 1ª de agosto deste ano. Para as funções de Consultor Legislativo, Consultor Técnico Legislativo e Procurador,  o pagamento inicial previsto para aquela data é de  R$ 15.879,40. Pensando a longo prazo, essas remunerações podem duplicar no topo da carreira.

Todas as ocupações recebem auxílio alimentação de cerca de R$ 1300. A assistência médica é intermediada pelo Fundo de Assistência à Saúde dos Deputados Distritais e Servidores da Câmara Legislativa do Distrito Federal (Fascal), órgão interno que tem atendido bem servidores e parlamentares e é bastante aceito em Brasília, com facilidade para encaminhar pedidos.

 

Carga horária, gratificação por titulação e lotação

 

A jornada de trabalho é de 30 horas para profissionais de provimento efetivo, com exceção dos cargos comissionados. Quando há necessidade de exceder a carga horária fixada nos turnos, que podem ser pela manhã ou tarde, as horas extras são compensadas.

Há gratificação por titulação, com 15% sobre o vencimento. Então, quem tem uma pós graduação, por exemplo, acaba somando. Esses acréscimos no salário do servidor também podem ocorrer após cursos de aperfeiçoamento de curta, média e longa duração promovidos ou patrocinados pela  Escola do Legislativo do Distrito Federal (Elegis) — órgão interno da CLDF, que  tem por objetivos favorecer a atualização profissional e a formação de deputados, servidores, gestores e população em geral. 

A maioria dos cargos para a Câmara Legislativa já têm lotação específica. Esse é o caso do posto de técnico para polícia legislativa, que ficará na coordenadoria de polícia, e do posto de técnico de bibliotecário que vai trabalhar na biblioteca da instituição. O cargo de consultor legislativo, que não tem exigência de formação específica, será lotado na assessoria, consultoria legislativa ou em alguma comissão. A exceção é para os cargos de  técnico da área administrativa, que podem ser lotados em toda Casa. Não há necessidade de viagem, pois raramente ocorrem eventos externos.

Confira o vídeo à integra:

Veja aqui mais informações sobre o concurso da CLDF e dicas de estudos.

 

 

The post Consultor legislativo CLDF fala sobre carreira appeared first on Estratégia Concursos.