Arquivo

Home » » Depoimento do Aprovado no Concurso de Defensor Público: Marcelo Piton

Depoimento do Aprovado no Concurso de Defensor Público: Marcelo Piton

Nome: Marcelo Martins Piton.
Cargo no qual foi aprovado: Defensor Público do Rio Grande do Sul.
Idade: 24 anos.
Situação familiar: solteiro e durante a preparação morava sozinho.
Cidade de origem: Palmitinho – Rio Grande do Sul
Cargos ocupados anteriormente: Assessor de Juiz.
Formação: Bacharel em Direito.
Data da conclusão da graduação: 05.01.2010.
Data de aprovação no cargo de Defensor Público: 21.12.2011.
Concursos aprovados anteriormente: Assessor do Ministério Público do Estado do Rio Grande do Sul (5º lugar), Procurador da CEEE (2º Lugar) e Procurador do Município de Frederico Westphalen/RS (1º Lugar).
Quando começou a se preparar para o concurso atual: desde o início do período de preparação, sempre optei pelos concursos estaduais, mas não foquei em um concurso específico. Comecei a estudar no mês de janeiro de 2010 e o concurso da Defensoria Pública do Estado do Rio Grande do Sul começou no mês de janeiro de 2011, tendo terminado no mês de dezembro de 2011.
Como estudou:
- montou planejamento? Montei. Elaborei uma grade de horário e alocava as matérias nele. Também utilizei o Sistema TUCTOR.
Sempre gostei de estudar por doutrina, utilizava os cadernos apenas para a revisão. Na fase final do concurso, consegui ler até 2.000 páginas de livros na semana. Como tinha uma meta mensal, isso facilitava o estudo.
Além disso, após a prova objetiva, passei a elaborar, também, resumos, para facilitar a revisão para as provas dissertativa e oral.
- fez cursinho? No primeiro ano de estudo, fiz o curso anual da LFG. Durante a realização do concurso, realizei cursos preparatórios para as provas Orais e de Tribuna, além de aulas de oratória.
- estudou em grupo? Não, nunca.
- estudava em biblioteca? Também não. Gostava de estudar em casa.
- estudava quantas horas por semana? De 7 a 10 horas diárias, incluído o período do curso preparatório, que era de 03 horas. No primeiro ano, estudava até sábado de manhã. Já durante a realização do concurso público da Defensoria Pública, estudava todos em dias, sem intervalo.
O que faria diferente: acredito que tenha feito tudo que estava a minha disposição. Manteria o mesmo método de estudo.
Houve momentos de desânimo? Pouquíssimos, sempre acreditei que, com estudo e foco, iria ingressar em uma boa Instituição.
Chegou a pensar que não passaria? Não. Tinha a convicção de que com organização e qualidade de estudo iria alcançar o meu objetivo.
Principais dificuldades. Quais foram? Quando me formei, imaginava que iria demorar de 3 a 5 anos para ingressar em uma das carreiras que eu almejava – Defensoria Pública, Ministério Público ou Magistratura.
Daí por que o fato de a aprovação ser algo “a longo prazo” dificultou um pouco, pois é mais difícil manter o foco nessas circunstâncias.
O que fez para superar as dificuldades? Como durante a preparação para essas carreiras fui passando em outros concursos, isso me dava tranquilidade e motivação, pois era um sinal de que eu estava no caminho certo.
Além disso, com a fixação de metas semanais, houve uma redução dessa circunstância, pois a cada semana sentia a sensação de “dever cumprido”.
Contexto de aprovação:
- como soube da notícia? Acessei o nosso grupo de estudo pelo celular e um colega que tinha acesso ao DOE havia anexado o edital.
- onde estava? Dentro do carro, em uma viagem.
- o que sentiu no momento em que recebeu a notícia? A emoção é inexplicável e, efetivamente, fez tudo valer a pena.
- O que fez em seguida? Liguei para familiares e amigos.
- como foi a comemoração? Fiz um almoço que se transformou em janta e terminou perto das 02 da manhã, foi uma recompensa merecida.
- outros detalhes que queira mencionar sobre o contexto da aprovação: a aprovação é algo que faz todo o estudo e sacrifícios valerem a pena, tenham certeza disso!
Conselho aos candidatos:
O que diria para alguém que estivesse começando a estudar para concursos e lhe pedisse um conselho? Faça um curso preparatório, mas o estudo em casa/biblioteca é essencial para a aprovação.
Além disso, acredito que a organização é, também, essencial para a aprovação. Aqui posso mencionar a utilização do Sistema TuctorComecei a utilizar ele 05 meses antes do concurso da Defensoria Pública e parei de utilizá-lo somente ao final.
O sistema de metas (páginas e horas) a serem cumpridas semanalmente me ajudou bastante, pois toda semana tinha um objetivo novo e isso me motivava para realizá-lo, o que amenizava o fato de a aprovação ser algo longo e abstrato.
O que diria para alguém que estivesse já estivesse estudando há algum tempo e lhe pedisse um conselho?
1) Jamais desista! Eu tenho certeza de que somente quem desiste não passa em concurso público.
2) Faça, também, um plano de estudo organizado. Quando você concluir o plano semanal, você sentirá uma grande redução da ansiedade e da preocupação de não ter estudado o suficiente, sendo que isso faz uma grande diferença.
3) Encontre o SEU método de estudo, não adote o de outra pessoa, pois provavelmente não irá dar certo.
http://www.concursospublicos.pro.br/relato-do-candidato-de-exito/depoimento-do-aprovado-no-concurso-de-defensor-publico-marcelo-piton

0 comentários:

Postar um comentário